terça-feira, 20 de abril de 2010

A soberania de Zeus e sua esposa Hera

De Úrano e Géia, nasceram vários filhos;
dentre eles, Cronos, um dos Titãs, que um
dia, tomando o poder sobre o céu, tornou-se o
deus supremo.

Cronos se casou com Réia. Entretanto, haviam
predito ao novo soberano que ele haveria de ser
destronado como Úrano, e também pelo próprio
filho. Tentando escapar a esse destino, Cronos
devorava os filhos assim que Réia os dava à luz. Um
dia a mãe, não suportando mais essa situação, fugiu,
grávida, para a ilha de Creta, e ali gerou Zeus. Para
enganar o marido, envolveu uma pedra num manto e,
fingindo tratar-se de mais um filho de Cronos, deulhe
para que devorasse. Mais tarde, Zeus, ao lado dos
outros deuses do Olimpo, guerreou contra Cronos e
seus irmãos Titãs, numa disputa que durou dez anos
e terminou com a vitória do primeiro. A Terra,
furiosa por Zeus ter precipitado os Titãs nos Infernos,
mandou contra ele seus terríveis filhos, os Gigantes,
mas a nova guerra também terminou com sua vitória.

Foi assim que Zeus se tornou o supremo rei dos
deuses, reinando sobre o céu luminoso.
Com o raio em uma das mãos e o cetro de rei na
outra, Zeus velava pela ordem do universo, pela
concórdia entre os deuses e o cumprimento das
promessas e juramentos. Era o soberano do céu,
como Possêidon era o deus do mar
e Hades o das regiões infernais.

Mas uma força superava a de
Zeus: a do Destino.

Havia três

Moiras que teciam a sorte dos
homens, e nem Zeus poderia mudar
o que elas estabeleciam.

Cloto esticava o fio dos destinos,
Láquesis o colocava no fuso da roca5 e Átropos o
cortava, determinando a duração de cada vida
humana de acordo com o tamanho do pedaço de fio.

A águia era a ave de Zeus, como o carvalho sua
árvore preferida.

Hera, irmã e esposa de Zeus, deusa do
casamento, morria de ciúmes diante das
infidelidades constantes do marido. De fato, ele não
hesitava em recorrer a todos os meios para obter o
amor das mortais por cuja beleza se apaixonava. Não
podendo enfrentar o supremo rei dos deuses, a cólera
da deusa se voltava contra suas rivais ou os filhos
que Zeus tinha com elas.

Foi por causa de Hera que o herói Hércules teve
 de passar por doze terríveis tarefas. Um dia, quando
ele navegava de volta para casa, vindo de Tróia, Hera
provocou no mar uma tempestade espantosa. Zeus,
porém, castigou-a por isso: prendeu-a com uma
corrente de ouro, amarrada de cabeça para baixo do
alto de uma nuvem, com uma bigorna em cada pé...
Seu filho Hefesto, o deus ferreiro, libertou-a,
provocando a cólera de Zeus, que o precipitou do
alto do céu. Foi nessa ocasião, dizem, que Hefesto
ficou coxo para sempre.

A Hera estavam consagrados o pavão e a vaca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário